Etcéteras

Mistérios da Internet: Quem é a “Celebridade número 6”?

Eu adoro mistérios da internet, mas sempre que eu encontro algum mistério legal, alguém resolve pouco antes de eu postar aqui, mas dessa vez parece estar sendo diferente, pois até o momento ninguém encontrou uma solução definitiva.

Tudo começou quando uma pessoa foi até um fórum no Reddit e pediu ajuda para identificar as celebridades estampadas nesse tecido:

A pessoa deu um número a cada celebridade e as pessoas do fórum foram identificando um por um, inclusive encontrando as fotos originais que foram usadas na confecção do tecido.

A maioria é bem fácil: dois atores da série LOST, Jessica Alba, Adriana Lima (duas vezes), entre outras pessoas conhecidas do público geral.

Porém, até o momento (já fazem alguns meses), ninguém conseguiu identificar a pessoa que agora é conhecida apenas como “celebridade número 6”:

Passei algum tempo lendo todas as respostas e sugestões de pessoas sobre quem pode ser essa pessoa, que deve ser conhecida. Mas até agora, ninguém de fato conseguiu uma resposta definitiva.

A resposta mais aceita até o momento é que seria uma foto do Brad Pitt que foi bastante distorcida na edição, mas isso não me convenceu.

Todas as outras fotos são do início dos anos 2000 (até 2006), então acho que deve ser alguém famoso nessa época.

Então, venho pedir ajuda do meu querido público pra ver se alguém sabe quem é essa pessoa, e se souber, precisamos encontrar a foto original que foi usada, pra aí sim termos uma resposta que não possa ser questionada.

No momento são milhares de pessoas, comunidades e canais do Youtube que estão tentando resolver esse mistério.

Então nos ajude: você sabe quem é a celebridade número 6?

As habilidades dos jogadores de CS e LOL

Imagem de Pavel Danilyuk em Pexels 

Que todo jogo requer habilidades é de conhecimento de todos. Porém, será que existem aptidões específicas para CS:GO e LOL, dois dos principais games eletrônicos da atualidade? O site de apostas LoL Betway foi desvendar essa questão e descobriu que esses jogos requerem, sim, habilidades. 

Porém, isso não significa que as aptidões não possam ser desenvolvidas. Na verdade, para quem quer atuar em nível profissional, é possível fazer um tipo de fisioterapia para exercitar mais o cérebro. 

CS: GO – mira e concentração

Para jogar CS:GO é necessário ter várias habilidades. Mas, na opinião do treinador Apoka, o principal é a mira. “Muitas skills são importantes. Por exemplo, atitude rápida, uso de utilitários, inteligência do que está acontecendo no mapa, mas a mais importante é a boa e velha mira”, afirma. 

Segundo este levantamento exclusivo do Betway, esse jogo requer: 

  • boa mira; 
  • reflexo rápido;
  • precisão nos movimentos;
  • noção de espaço;
  • boa memória;
  • estratégia de jogo;
  • trabalho em equipe;
  • coordenação visual-motora

Por ser um jogo que envolve tiros e estratégias, o jogador acaba exercitando várias partes do cérebro. Ao mirar, por exemplo, é necessário que a visão esteja afiada. Além do mais, por ter que reagir rapidamente, a habilidade de lidar com o estresse é melhorada. 

O que faz um jogador se destacar ou não no CS:GO é a união da coordenação motora com a visão. Quem enxerga bem o cenário e sabe tomar as decisões certas tende a ir melhor no game. 

LOL – comunicação

Por sua vez, o League of Legends exige outra aptidão dos competidores: a comunicação. Segundo o treinador Abaxial, é muito importante saber trabalhar em equipe e ler os movimentos dos outros jogadores. “Você precisa saber como jogar seu campeão, mas também precisa entender como seu inimigo vai jogar e como o seu time vai jogar. Essas relações mudam em tempos diferentes e espaços diferentes do mapa”, explica o especialista. 

Para esse game, é necessário ter as seguintes habilidades: 

  • ação rápida; 
  • raciocínio rápido;
  • boa comunicação;
  • trabalho em equipe;
  • foco e concentração;
  • mente estratégica;
  • Coordenação motora. 

Na hora de competir profissionalmente, é importante que o jogador de LOL entenda as estratégias do jogo, esteja atento ao mapa, saiba se posicionar contra os inimigos e tenha objetivos de jogo claros.

O que diferencia o LOL do CS é que o primeiro requer mais ações coletivas. Por isso, a comunicação é tão essencial. “No caso do LoL, você precisa tomar decisões estratégicas e coletivas de forma rápida. Além, é claro, da capacidade motora e de concentração. Essa é a grande diferença para os jogos que você precisa de interação humana: você tem que pensar na sua atuação, na atuação do seu time e imaginar o contra-ataque que irá ocorrer do seu adversário”, afirma o neurologista Doutor Júlio Pereira. 

Ainda analisando os dois jogos, a pesquisa descobriu que eles têm em comum o fato de ativar mais o lado esquerdo do cérebro. Cerca de 60% das habilidades requeridas estão nessa parte. Além do mais, o estudo apontou que a única aptidão que envolve todo o cérebro é sincronia de equipe, e que deve estar presente em todos os que querem jogar esses games. 

A boa notícia é que existem exercícios que ajudam a mente a trabalhar melhor. Eles fazem parte da fisioterapia esportivas e servem para evitar lesões, diminuir danos e até desenvolver quem deseja atuar profissionalmente.

A história das antigas máquinas de cassino

Em qualquer lugar do mundo você pode encontrar nos bares, cassinos e diversos tipos de locais de entretenimento máquinas de jogos. O que talvez você nunca tenha se perguntado é de onde elas surgiram.

Segundo dados históricos dos amantes os jogos de que primeiro se tem registros de existência são do ano 3000 antes de cristo, seguidos dos jogos de baralho que teriam aparecido por primeira vez na China por volta do século 9 depois de cristo, e somente muito tempo depois, já no século 17 teria surgido o poker, na Pérsia antiga.

O tempo passou, a busca por diversão evoluiu e o gosto pelos jogos se espalhou pelo mundo até que no século 19 dois inventores americanos criaram uma máquina de jogos que foi a precursora das máquinas caça-níqueis modernas que conhecemos hoje, essa vida longa e grande história a tornou inclusive item de decoração, sendo que vários colecionadores as têm como objeto raro e valioso.

Essa máquina, invento americano, foi um verdadeiro jackpot na indústria do entretenimento e tinha as bases parecidas com as bases do poker no qual o jogador colocava um moeda, puxava uma alavanca e a máquina revelava as cartas recebidas por ele, se ele tivesse sorte e tirasse boas cartas podia ganhar prêmios, que naquela época podia ser, por exemplo, uma cerveja.

Charles Fey, o primeiro a modernizar o sistema

Charles Fey, um mecânico de automóveis de San Franciscano, criou a primeira máquina caça-níqueis de jogo com pagamento automático por volta de 1890. Chamada de “O Sino da Liberdade”, consistia em três rolos giratórios com corações, diamantes, espadas e um Sino da Liberdade rachado pintado em cada um. Uma grande recompensa de cinquenta centavos veio com uma rodada de sorte de três Liberty Bells.

O invento de Fey se tornou uma atração e ele começou a montar máquinas para alugar para bares, recebendo uma parte dos lucros.

Infelizmente as máquinas de Fey foram ficando obsoletas, demoravam muito as rodadas para a ansiedade das pessoas que queriam aproveitar o jogo.

A evolução das máquinas

Vários fabricantes surgiram e nessa época as máquinas já eram populares nos bares, discotecas e muitos outros estabelecimentos em todos os Estados Unidos, e uma nova máquina chamada Dewey-Chicago Triplet surgiu para modernizar a maneira de jogar. Foi criada por uma companhia norte-americana, sendo composta por três caça níqueis em uma linda caixa de madeira de carvalho e foi sem dúvida uma das mais importantes na história dos jogos.

As máquinas passaram a ter música e era basicamente uma maneira de lidar com questões legais, já que o jogo passava de mera aposta para uma modalidade de compra de música e assim conseguiram seguir evoluindo. Com essa mesma finalidade surgiu a famosa Operator’s Bell, máquina que tinha como figuras laranjas, ameixa e limões e que como prêmio davam chicletes.

Essa técnica de prêmios em comida seguiu por anos e serviu para que as máquinas pudessem seguir existindo e servindo de entretenimento para as pessoas, e por mais que os tempos tenham mudado esse visual continua existindo e fazendo sucesso nas máquinas atuais.

3 documentários imperdíveis no Netflix sobre esportistas

Cristiano Ronaldo, Messi, Kobe Bryant e Michael Jordan, entre outros, têm sido em algum momento da sua carreira inspirados com outros esportistas. Todos dedicaram muito tempo ao seu ofício, tornando-se melhores no esporte que praticam.

Pensando nessa mentalidade de vencedor que esses atletas desenvolveram, apresentamos os melhores documentários disponíveis em streamings. São de grande importância para ajudar a construirmos uma mentalidade vencedora e acompanharmos os principais desafios vividos por esses atletas. Ao começar em esportes, ou a começar a apostar online, é importante saber de muitas histórias de sucesso, como também estar sempre informado dos resultados dos jogos de hoje, dos ganhadores, e dos esportistas que estão sendo os principais no basquete.

The Carter Effect (Netflix)

Este documentário conta como Vince Carter fez sua mágica construção no passado. É uma maneira diferente de conhecer o jogador oito vezes ganhador da NBA All-Star de Daytona Beach  que fez uma progressão imperdível no mundo do basquetebol canadense ao entrar em “The Raptors” em 1998. Com Vince Carter na tela, este documentário toma um percorrido aprofundando e focado no impacto cultural pop internacional e na cena do basquetebol canadense. Foi estrelado durante o Toronto International Film Festival.

Michael Jordan: Mais leve que o ar

Um documentário maravilhoso que conta a trajetória de sucessos e fracassos do maior jogador de basquete de todos os tempos. Michael Jeffrey Jordan nasceu em 17 de fevereiro de 1963 em Brooklyn, EUA. Era de uma família bem humilde e simples. Cresceu em uma atmosfera familiar de muito amor e companheirismo e isso fez com que ele desenvolvesse um caráter e uma personalidade marcante e cativante. Foi eleito o melhor jogador da temporada regular por cinco vezes, melhor jogador das finais em todos os seis títulos do Bulls, 10 vezes incluído entre All-NBA Team, 9 vezes para o NBA All-Defensive Team. Participou de 13 NBA All-Star Game e foi melhor jogador do All-Star Game em 3 oportunidades.  

Iverson (Netflix)

Um documentário sem filtro sobre a vida e a carreira de Allen Iverson, um basquetebolista que ficou na história como um das estreias mais incríveis da história da NBA. O chamavam de “A resposta”, ele era o mais pequeno jogador, porém podia chegar em qualquer lugar pela sua rapidez e atitude. Ele deixou a Georgetown University logo depois de seu período como estudante pelo seu sonho na NBA de mostrar suas incríveis habilidades. Atuava como armador. Allen Iverson entrou na liga em 1996 e em pouco tempo se tornou um de seus principais jogadores.

Ele participou 11 vezes do NBA All-Star Game, tendo sido MVP do mesmo por duas vezes, em 2001 e 2005. Na temporada de 2000–01, a mesma em que conduziu o Philadelphia 76ers às Finais contra o Los Angeles Lakers, ele recebeu o Prêmio de MVP da Temporada. Allen Iverson recebeu o Prêmio de Revelação do Ano na temporada de 1996–97 e foi por 4 vezes Cestinha da Liga nas temporadas de 1998–99, 2000–01, 2001–02 e 2004–05.

Deixou uma marca que ainda persiste. Ele era o tipo de jogador que não tinha medo de se mostrar como era. Amando-o ou odiando-o, não havia maneira de ele passar despercebido. Este documentário é um pedaço de seu legado.

5 animes que marcaram os anos 2000

O mundo dos animes está vivendo um renascimento nos últimos anos graças a títulos como Attack on Titan, My Hero Academia, Dragon Ball Super, Demon Slayer e mais recentemente Jujutsu Kaisen. Mas o pessoal que começou a assistir anime hoje em dia não conheceu a era mágica dos anos 2000 onde você acessava sites como a Naruto Project para baixar o episódio da semana (em RMVB para economizar no download) e volta e meia acabava descobrindo algum anime novo e incrível.

No post de hoje, listamos alguns dos melhores animes que marcaram os anos 2000.

Naruto Shippuden

Naruto Shippuden traz a história de Naruto Uzumaki e sua luta para impedir que o mundo seja dominado pela Akatsuki e também suas tentativas de trazer seu amigo Sasuke Uchiha de volta ao caminho da luz. O anime ainda hoje tem uma legião de fãs antigos e novos, e mesmo com os milhares de fillers de Naruto Shippuden, a obra ainda hoje é tida como uma das melhores de todos os tempos.

Death Note

Um ótimo anime para se apresentar para quem não gosta de animes, Death Note conta a história de Light Yagami, um jovem genial que acaba encontrando o Death Note, um caderno que mata qualquer pessoa cujo nome é escrito nele. Agora, ele tem como objetivo criar uma sociedade melhor, eliminando os criminosos do mundo todo. Quem tenta impedi-lo é L, o melhor inspetor do FBI, num verdadeiro jogo de Gato e Rato cheio de reviravoltas. Aqui no Ah Negão, a gente já até viu que ele existe mesmo.

Fullmetal Alchemist

Fullmetal Alchemist conta a história de Edward e Al Elric, dois jovens alquimistas que estão em busca da Pedra Filosofal, um artefato lendário que pode restaurar o corpo deles após estes tentarem reviver a própria mãe usando a alquimia, algo que é um Tabu. Uma das histórias mais interessantes e cativantes dos animes dos anos 2000.

Bleach

Ichigo Kurosaki é um jovem com um certo nível de sensitividade que um dia acaba conhecendo Rukya Kuchiki, uma Shinigami (deus dos mortos) e acaba assumindo o posto dela para salvá-la. Agora, ele deve ajudar a conduzir as almas dos mortos ao outro mundo e impedir que os Hollows (espíritos malignos) causem problemas.

One Piece

One Piece é como se fosse o crossfit do mundo dos animes: parece uma seita de que está do lado de fora, e é uma verdadeira seita para quem entrou de cabeça na história criada por Eiichiro Oda que ainda hoje é publciada. Nela, vemos a história de Luffy, um jovem que quer tornar-se o maior pirata de todos os tempos e encontrar o One Piece, um tesouro que dizem realizar todos os sonhos de quem o obtiver. O anime tem quase 1000 episódios, e o mangá já passou dos 1000 capítulos, e ainda há pelo menos uns 5 anos de conteúdo programado, ou seja, é aquele tipo de anime que você começa agora e só vai alcançar daqui uns 3 ou 4 meses, e a jornada toda vale muito a pena.

Rolar para cima